quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Tudo mina , minerais

Pedra. Cobre. Terra.

Enterra.



Enterrados. Encerrados

Minas dantes e de agora

Pouco muda, vai a forra



Rocha dura, corpo mole

Ultraumidade e alma em brasa

Sol lá fora e as cidades


O bólido na mente

A cápsula presente

Percussão que explode

O fundo do poço

A fossa do povo

Comoção. Poluição.



A vida que emerge

Resgatista imerso

Show encerrado.


Tudo mina, minerais!

4 comentários:

  1. maria lucia:
    15 outubro, 2010 as 11:30

    suely,

    vamos atuar para que o show continue; que a água continue a fluir.

    Lindo poema.

    beijo,
    ml
    via http://colunas.cbn.globoradio.globo.com/platb/miltonjung/2010/10/15/tudo-mina-minerais/#comments

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!!....Sucesso!
    Na noite de autógrafos queremos estar lá...
    Isaias por e-mail.

    ResponderExcluir
  3. Paulo,
    animais e saudais.
    Viva!
    Obrigada,
    Suely

    ResponderExcluir